Politics

Putin diz que ofereceu a Kiev não se envolver em combate e retirar suas forças do Donbass: “mas não quis fazê-lo”


O presidente russo afirma que as autoridades de Kiev, capital da Ucrânia, “foram oferecidas para não entrar em combate e simplesmente retirar suas tropas do Donbass”


Siga o Brasil 247 no Google News

247, com agência RT – O presidente russo, Vladimir Putin, enfatizou na quarta-feira (16) que a Rússia não tem intenção de ocupar a Ucrânia. De acordo com ele, “as autoridades de Kiev, através de diferentes canais, para evitar derramamento de sangue, foram oferecidas para não entrar em combate e simplesmente retirar suas tropas do Donbass”. 

Em fevereiro, Putin assinou um decreto em que reconheceu a independência de duas repúblicas separatistas da Ucrânia – Donetsk e Lugansk -, que ficam na região de Donbass.

Nesta quarta, o presidente russo afirmou que a “Ucrânia, encorajada pelos EUA e vários países ocidentais, estava se preparando deliberadamente para um cenário de força”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A presença de tropas russas perto de Kiev e de outras cidades ucranianas não está relacionada com a intenção de ocupar este país. Não temos esse objetivo”, complementou.

De acordo com reportagem do jornal britânico Financial Times, Rússia e Ucrânia já têm um esboço do que pode ser um acordo de paz para pôr fim à guerra que já se aproxima do primeiro mês de duração. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sanções

O presidente russo afirmou que as sanções impostas contra o seu país são outro tipo de “arma” que “atinge também os próprios europeus e americanos” e representa uma “lição” para as empresas russas. “Não há nada mais confiável do que investimentos em seu próprio país”, disse.

“Os EUA e a UE anunciaram um verdadeiro ‘default’ em suas obrigações com a Rússia. Agora todos sabem que as reservas financeiras podem simplesmente ser roubadas”, complementou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o presidente russo, a política anti-russa adotada pelo Ocidente representa uma estratégia de longo prazo. “Um novo pacote de sanções contra nós viria em qualquer caso”, acrescentou.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

close