Politics

Novas imagens de câmeras de segurança do quiosque Tropicália mostra outras testemunhas de agressões e morte de Moïse


Um homem puxa as pernas do congolês, outro leva embora o taco usado no crime, um tira foto da vítima, enquanto a venda de bebidas continuou normalmente


Siga o Brasil 247 no Google News

247 – Nova imagens das câmeras de segurança do quiosque Tropicália, obtidas pela TV Globo, mostra que outras pessoas estiveram presentes na cena do crime, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, na noite do dia 24 de janeiro, quando o congolês Moïse Kabagambe foi morto.

Um homem puxa as pernas do congolês, outro leva embora o taco usado no crime, um chega a tirar uma foto da vítima imobilizada, enquanto a venda de bebidas no estabelecimento continuou normalmente, mesmo com o corpo estendido no chão, informa o portal G1.

Do momento em que o congolês foi derrubado no chão até o último movimento de Moïse passaram-se seis minutos, período em que recebeu 40 pauladas de dois homens com um único taco de basebol. Sofreu chutes, socos e estrangulamentos com a ajuda de uma corda, enquanto um terceiro agressor estava em cima dele e o imobilizou com um mata-leão até o último sinal de vida. Estes três homens já estão presos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As novas imagens mostram que um homem de camisa amarela, que um homem de camiseta amarela, que estava sentado em um banco do quiosque, se aproximou da agressão logo quando o congolês caiu e puxou suas pernas. Um outro, de regata e boné pretos, se aproxima do local onde as agressões tinham começado e observa tudo, ao lado de outro homem. Ele recebe de um dos agressores a arma do crime e sai de cena com o taco de basebol, informa o G1.

Ele voltou à cena 20 minutos depois, aproximando-se de um canal que observava com preocupação o congolês, que estava caído no chão e não se mexia, destaca a reportagem. O homem que saiu com arma do crime, então, faz um movimento como quem presta socorro, pondo água na cabeça de Moïse e fazendo massagem cardíaca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um funcionário, de camiseta listrada verde, Jailton Pereira Campos, que aparece nas imagens, disse à polícia que começou a discutir com o congolês pois ele tentava pegar bebidas no freezer. Ele aparece com um pedaço de pau na mão no começo das imagens com Moïse, antes dele ser derrubado. Não participou diretamente das agressões, no entanto.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

close